Notícias » Crime

Adolescente suspeito de ter matado irmãos teria confessado crime à mãe, afirma vizinha

As crianças, que tinham 2 e 4 anos, foram encontradas pela mãe com os corpos em chamas

Redação Publicado em 27/10/2021, às 09h42

Divulgação / G1
Divulgação / G1 - As vítimas tinham 4 e 2 anos

Um adolescente de 16 anos suspeito de ter matado os dois irmãos menores, confessou o crime para a mãe antes de ter sido levado para a delegacia no último dia 25, conforme informou uma vizinha da família. As vítimas, Vicente e Valentim, de 4 e 2 anos respectivamente, foram encontradas carbonizadas dentro de casa, no município de Maricá, no Rio de Janeiro.

A mãe havia deixado as crianças sob os cuidados do filho mais velho para ir a um comércio. No entanto, ao voltar para casa, se deparou com os corpos dos pequenos em chamas. Desesperada, ela tentou salvá-los, mas eles não resistiram.

"A gente ouviu gritos, no princípio pensei que era a televisão. Abri a janela do meu quarto e vi que era aqui fora. Aí saí eu, minha filha e meu marido. Quando chegamos aqui, encontramos a mãe gritando 'Mataram meus filhos, mataram meus filhos'. Meu marido então abriu o portão [da casa onde as crianças moravam], entrou e viu as duas crianças no chão, queimadas", contou Maria das Graças dos Santos ao RJ Inter TV 2ª edição.

"Ela achava que alguém tinha entrado, matado as duas crianças e tinha sequestrado o filho [adolescente]. Mas depois o pessoal aqui do local e a polícia acharam e trouxeram ele [o adolescente]", informou a vizinha, segundo o portal de notícias G1.

"Ela perguntou 'o que aconteceu?', aí ele falou pra ela que tinha sido ele que tinha matado os irmãos."

De acordo com a polícia, o suspeito foi levado ao Departamento de Ações Socioeducativas por fato análogo ao crime de homicídio qualificado por motivo fútil. O crime teria sido motivado pelo ciúme que o jovem tinha da mãe e pelo ódio que nutria por seu padrasto, o pai das crianças.

Conforme a fonte, as autoridades informaram que as vítimas teriam sido asfixiadas por esganadura e que ainda estariam vivas quando o irmão ateou fogo em seus corpos.