Notícias » Arqueologia

Afrescos de Pompeia e Estábia roubados são recuperados após mais de 50 anos

As peças de alto valor histórico retornaram ao Parque Arqueológico de Pompéia depois de décadas

Alana Sousa Publicado em 19/05/2021, às 11h45

Afresco roubado de Pompeia mostra um querubim
Afresco roubado de Pompeia mostra um querubim - Divulgação/Parque Arqueológico de Pompeia

Na última terça-feira, 18, seis afrescos de Pompeia de grande valor histórico foram devolvidos pela polícia após passarem mais de cinco décadas desaparecidos. Os painéis foram roubados de vilas antigas da cidade italiana destruída pela erupção do Monte Vesúvio em 79 d.C..

Segundo informações do site CGTN, os artefatos tinham sido levados ainda na década de 1970, e permaneciam sumidos até esta semana. Uma operação da polícia Carabinieri devolveu os itens ao Parque Arqueológico de Pompeia.

Um dos afrescos de Estábia recuperado e devolvido pela polícia/ Crédito: Divulgação/Parque Arqueológico de Pompeia

 

Os detetives acreditam que depois de serem retirados de Estábia e Pompeia, os afrescos foram vendidos no mercado ilegal para colecionadores de diferentes partes do mundo, como Reino Unido, Estados Unidos e Suíça.

A operação acontecia há anos, sendo que algumas obras haviam sido interceptadas ainda em 2012 e outras em 2020, mas apenas agora elas retornaram ao local de origem. “Uma vitória da legalidade contra o fenômeno das escavações ilegais e do tráfico de obras de arte e antigos achados arqueológicos”, comentou o diretor geral de museus da Itália, Massimo Osanna, sobre o retorno dos objetos.

Afresco roubado de Estábia / Crédito: Divulgação/Parque Arqueológico de Pompeia

 

Os acusados, que não tiveram suas identidades divulgadas, enfrentarão julgamento e responderão por contrabando; devido ao valor histórico das peças, a pena pode ser ainda mais severa.

Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.