Notícias » Estados Unidos

Agência do governo russo revela vídeos de Joe Biden visitando a União Soviética em 1979 e 1988

Publicados no Youtube, as cenas raras mostram o jovem senador discutindo tratados de armamento com autoridades russas

Wallacy Ferrari Publicado em 12/11/2020, às 08h35

Joe Biden sendo entrevistado na URSS em 1979
Joe Biden sendo entrevistado na URSS em 1979 - Divulgação / Companhia Estatal de Transmissão de Rádio e Televisão

Estimado como vencedor das eleições presidenciais de 2020, Joe Biden teve alguns vídeos de suas visitas para a URSS divulgados pelo canal oficial no Youtube da Companhia Estatal de Transmissão de Rádio e Televisão em Toda a Rússia (VGTRK) entre os dias 9 e 10 de novembro. As informações são do Pledge Times.

As viagens, ocorridas em 1979 e 1988, foram feitas enquanto o presidenciável era senador. No vídeo mais antigo, Biden, com 36 anos de idade, é entrevistado por um repórter soviético após descer do avião.

Na ocasião, outros seis senadores da comissão parlamentar de assuntos internacionais acompanharam o jovem em Moscou para realizar um acordo sobre a redução de armas estratégicas (SALT-2): "Seus líderes estavam dispostos a cooperar, eles passaram muito tempo conosco, lamentamos ter que sair tão cedo. As perspectivas para as relações soviético-americanas são boas!", disse o jovem democrata.

O segundo vídeo ilustra a visita feita em 1988, com uma reunião entre o senador americano e o então Presidente Soviete Supremo da URSS, Andrei Gromyko, no Kremlin. O trecho foi retirado do programa jornalístico Time Central TV e não conta com o áudio original, mas com uma narração russa de Evgeny Suslov.

O líder seguinte da URSS, Mikhail Gorbachev, concedeu uma entrevista à agência russa TASS no dia 8 deste mês afirmando ter esperanças em Biden para reconstruir a confiança dos Estados Unidos com a Rússia, mas "não a qualquer custo". "Eu me encontrei com ele várias vezes; a última vez foi em março de 2009. Ele era vice-presidente na época. [...] Tivemos uma conversa detalhada e amigável. Tenho a impressão de que ele entende a importância das relações com a Rússia", acrescentou o ex-lider.