Notícias » Coronavírus

Agências de inteligência dos EUA confirmam que coronavírus não foi criado como 'arma química'

A divulgação foi feita por escritório que coordena 18 agências de espionagem nos EUA

Luíza Feniar Migliosi, com supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 28/08/2021, às 13h41

Teste de coronavírus feitos em Drive-Thru
Teste de coronavírus feitos em Drive-Thru - Getty Images

As agências de inteligência dos Estados Unidos chegaram à conclusão de que o coronavírus não foi desenvolvido com a função de “arma química”. Porém, a origem não foi determinada, segundo a BBC News.

A investigação ficou dividida entre a possibilidade de o vírus ter surgido na natureza ou vazado acidentalmente de laboratório. O relatório, emitido pelo escritório que coordena as 18 agências de espionagem estadunidenses, incluindo a CIA, desconsiderou que tenha se originado como arma biológica.

O Escritório da Diretoria de Inteligência Nacional divulgou um relatório alegando que não há consenso sobre a origem entre a comunidade de inteligência dos EUA.

Além disso, o comunicado afirmou que muitas agências acreditam que o coronavírus surgiu de exposição natural a um animal infectado ou por um vírus progenitor similar, mas que a confiança na hipótese é baixa.

Uma das agências de espionagem alegou confiança moderada de que um incidente no laboratório do Instituto de Virologia de Wuhan, na China, que estuda o vírus em morcegos há mais de uma década, teria provocado a primeira infecção humana.

Em declaração, o presidente Joe Bidencriticou a China por não cooperar com a investigação.

"Informações críticas sobre as origens dessa pandemia existem na República Popular da China, mas, desde o início, autoridades do governo na China têm trabalhado para impedir investigadores internacionais e membros da comunidade de saúde global de acessar [esses dados]", disse Biden. "O mundo merece respostas, e não vamos descansar até que as tenhamos", acrescentou.

A Organização Mundial da Saúde enviou uma equipe para Wuhan que havia concluído, neste ano, que a doença se originou de um animal no mercado de alimentos, mas a hipótese foi refutada por cientistas.

Na última semana, a OMS afirmou que, em breve, poderá coletar evidências para determinar se a origem será biologicamente impossível. "A janela de oportunidade para conduzir essa investigação crucial está se fechando rapidamente", afirmou.

A China fomenta informações infundadas de que a origem da Covid-19 estaria no Forte Detrick, uma instalação militar do Estados Unidos. O ministro de Relações Exteriores da China chamou de "anticientífico" o relatório norte-americano.