Notícias » Grécia Antiga

Além de berço da democracia, Grécia Antiga também criou a economia de mercado, indica pesquisa

De acordo com um novo estudo, os antigos decidiam o que iam plantar baseando-se na demanda por exportações

Isabela Barreiros Publicado em 03/12/2020, às 17h15

A cidade de Atenas, na Grécia
A cidade de Atenas, na Grécia - Getty Images

A Grécia Antiga foi palco de inúmeras inovações importantes, que continuam sendo usadas até os dias de hoje, sendo a democracia uma delas. Agora, um estudo publicado na revista acadêmica The Economic Journal, da Universidade de Oxford, aponta que os gregos também foram responsáveis por criar a primeira economia de mercado do mundo.

Para o pesquisador Adam Izdebski, da Universidade Jagiellonian, em Cracóvia, isso pode ser observado nas próprias plantações feitas pelos antigos. Segundo ele, as decisões sobre as safras não eram baseadas apenas pelas necessidades nutricionais da região, mas sim pelas demandas das exportações.

Essa conclusão foi obtida por meio do cruzamento de dados sobre o que e quanto estava sendo produzido por fazendeiros gregos entre o período entre mil a.C. a 600 d.C. e a demanda apenas da região. De fato, havia uma dissociação entre os dois fatores, que deveriam ser correspondentes.

Cereais, por exemplo, não foram mais cultivados quando a população local aumentou durante esse período de 1.600 anos. Se a produção fosse destinada aos habitantes, ela iria aumentar. As lavouras de oliveiras e vinho, no entanto, cresceram consideravelmente durante os mesmos anos analisados.

O estudo propõe que a Grécia Antiga foi responsável por desenvolver essa economia baseada no mercado e em suas demandas há três mil anos antes do que o previsto na maioria das análises. Eles teriam criado, assim, a integração do mercado de diferentes regiões, gerando uma interdependência.