Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Amber Heard

Amber Heard desabafa após vitória de Johnny Depp: 'Retrocesso'

Condenada por difamação, Amber Heard foi condenada a pagar 15 milhões de dólares para o ex-marido

Redação Publicado em 01/06/2022, às 17h39

A atriz Amber Heard ao sair do tribunal nesta quarta-feira (1°) - Getty Images
A atriz Amber Heard ao sair do tribunal nesta quarta-feira (1°) - Getty Images

O processo movido por Johnny Deppcontra Amber Heard, ex-mulher, chegou ao fim nesta quarta-feira, 1°.

A atriz, famosa pelo papel de 'Mera' em 'Aquaman', terá que pagar um total de US$ 15 milhões ao ex-marido, que acusou de difamação após um artigo onde dizia ser vítima de violência doméstica. Ao mesmo tempo, o júri que definiu o caso nos Estados Unidos também definiu que o ator terá que idenizar a ex-companheira em Us$ 2 milhões. 

'Coração partido' e 'retrocesso'

Amber, que saiu derrotada do caso, desabafou sobre a decisão final. Em comunicado, a atriz disse que seu coração está 'partido'. 

"Estou com o coração partido que a montanha de evidências ainda não foi suficiente para resistir ao poder, influência e influência desproporcionais do meu ex-marido", disse Amber.

A atriz também disse que o veredito é um 'retrocesso' para outras mulheres. 

"Estou ainda mais desapontada com o que esse veredito significa para outras mulheres. É um retrocesso. Atrasa o relógio para uma época em que uma mulher que se manifestou pudesse ser envergonhada e humilhada publicamente. Afasta a ideia de que a violência contra as mulheres deve ser levada a sério", enfatizou ela. 

Amber ainda aproveitou o comunicado para alfinetar os advogados do ex-marido e também  falar sobre liberdade de expressão. 

"Acredito que os advogados de Johnny conseguiram fazer com que o júri ignorasse a questão-chave da liberdade de expressão e ignorasse evidências tão conclusivas que vencemos no Reino Unido. Estou triste por ter perdido este caso. Mas estou ainda mais triste porque sinto ter perdido um direito que pensava ter como americano, o de falar livre e abertamente", ressaltou ela.