Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Entretenimento

O desabafo de Amber Heard sobre 'Aquaman 2': 'Não queriam me incluir'

Na última semana, a artista falou em depoimento sobre a sua relação com a Warner Bros

Redação Publicado em 17/05/2022, às 10h33 - Atualizado em 22/05/2022, às 06h00

Amber Heard em "Aquaman" - Divulgação/DC
Amber Heard em "Aquaman" - Divulgação/DC

Amber Heard disse em depoimento prestado em tribunal na segunda-feira, 16, que a Warner Bros. reduziu seu papel em “Aquaman 2” em meio à polêmica disputa judicial envolvendo seu ex-marido, Johnny Depp.

Segundo a atriz, a empresa originalmente queria cortá-la do papel de Mera no filme sequência da DC, mas ela insistiu com os executivos e precisou “lutar muito” para continuar na franquia.

“Eu tive que lutar para muito para ficar no filme. Eles não queriam me incluir no filme,” explicou a artista em depoimento em um tribunal da Virgínia, nos Estados Unidos.

Heard relatou ainda que, com o andamento do processo e com a polêmica crescente, ela passava a receber versões do roteiro em que suas cenas estavam cada vez mais reduzidas, segundo reportou a Rolling Stone Brasil.

Divulgação/DC

“Me deram um roteiro. E então deram novas versões do roteiro que tiraram cenas que tinham ação, que mostravam minha personagem e outro personagem, sem dar spoilers, dois personagens lutando um com o outro. Eles basicamente tiraram muito do meu papel. Eles apenas removeram um monte”, explicou.

Petição online

A atriz ainda está sendo alvo de uma petição online que pede que ela seja substituída de “Aquaman 2”, contando com mais de 4 milhões de assinaturas no Change.org. É possível que o abaixo-assinado se torne um dos mais assinados da plataforma.

"No processo, Johnny descreve vários incidentes que ele sofreu nas mãos de sua (então) esposa, incluindo socos que levou no rosto e uma vez em que ela quebrou seu dedo com uma garrafa de vodka. Inclusive, o dedo foi recolocado no lugar cirurgicamente. Ele vai carregar essas cicatrizes para o resto da vida", relata a descrição presente no Change.org.