Notícias » Estados Unidos

Ameba comedora de cérebro causa morte de criança na Flórida

Durante o acampamento de férias nos EUA, o menino contraiu o protozoário e morreu em poucos dias

Alana Sousa Publicado em 16/09/2020, às 12h00

Divulgação
Divulgação - Naegleria fowleri

Segundo a emissora CBS News, um garoto de 13 nos morreu após contrair uma ameba “comedora de cérebro” durante seu acampamento de férias na Flórida, Estados Unidos. A morte aconteceu mês passado, mas em julho outra pessoa já havia sido infectada pelo mesmo organismo.

O menino apresentou sintomas parecidos com os da meningite: intolerância a luz e barulho, dores de cabeça, enjoo, inchaço no cérebro e, em alguns casos, hemorragia. A criança, então, foi levada ao hospital, porém, rapidamente veio a óbito. Os especialistas acreditam que a contaminação pode ter acontecido através de um lago, que ficava perto do acampamento — sendo que o local é um dos habitats do protozoário.

Conhecida como Naegleria fowleri, a ameba entra pelo nariz e ataca os tecidos cerebrais do ser humano, causando a morte em poucos dias, no máximo em uma semana. O organismo reside em lagos, rios e piscinas na qual a água se encontra em condições precárias ou que estejam em temperatura morna a quente.

Apesar de raro, o caso já foi relatado nos EUA. No ano passado, uma menina de 10 anos contraiu a ameba e morreu. Desde 1962, no entanto, apenas 37 registros vieram ao conhecimento das autoridades americanas.

Quanto à prevenção, ainda não existe métodos sofisticados para evitar a ameba comedora de cérebro. Especialistas sugerem que as pessoas não entrem em rios e lagos de água morna, ou se fizerem isso, que tampem bem o nariz.