Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Egito Antigo

Amenófis III: Rosto do avô de Tutancâmon, e 'homem mais rico do mundo', é recriado

Faraó por quase quatro décadas, Amenófis III tem mais estátuas sobreviventes do que qualquer outro; mas elas pouco se parecem com a realidade

Fabio Previdelli

por Fabio Previdelli

fprevidelli_colab@caras.com.br

Publicado em 16/05/2024, às 10h36

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Afresco do faraó Amenhotep III, da 18ª dinastia - Getty Images
Afresco do faraó Amenhotep III, da 18ª dinastia - Getty Images

Adorado como um deus vivo, Amenófis III teve em seu longo reinado, de cerca de 40 anos, tempos de paz e prosperidade no Antigo Egito. O faraó, além de ser descrito como um dos homens mais ricos que já existiu, também é avô de Tutancâmon

Agora, em quase 3.400 anos depois de sua morte, sua verdadeira face foi revelada, mostrando uma figura completamente diferente da que conhecemos — embora ele seja considerado um dos maiores faraós e tem mais estátuas sobreviventes do que qualquer outro.

Usando dados do crânio de sua múmia, uma equipe multinacional recriou sua face. Segundo Michael Habicht, arqueólogo da Universidade Flinders, na Austrália, Amenófis III era bem diferente do faraó visto nas estátuas.

"É um rosto plácido para um homem que promoveu a paz e viveu numa época de maior prosperidade econômica. Ele pode muito bem ter sido um dos homens mais ricos que já existiu, pelo menos em sua época. É difícil saber a causa da morte analisando os restos mortais disponíveis", disse ao Daily Mail.

Pesquisas realizadas na década de 1970 descreveram Amenófis III como um homem obeso, doente e sedentário, quase careca, que sofreu de problemas dentários nos últimos anos de vida", prossegue. 

Apesar de ter sido um dos grandes reis do Egito, o faraó tinha apenas cerca de 1,56 metro; o que o torna um dos menores reis conhecidos através de suas múmias preservadas. "Esta pequena altura corporal não se reflete na arte. Nas obras de arte ele é famoso por suas estátuas gigantescas", aponta Habicht.

De volta à vida

O brasileiro Cícero Moraes, especialista gráfico, foi responsável por trazer Amenófis III de volta à vida, reconstruindo digitalmente seu crânio, usando imagens e dados de sua múmia. Ele ainda utilizou informações adicionais de doadores vivos para ter como referência das prováveis ​​dimensões e posição do nariz, orelhas, olhos e lábios do rei.

Reconstrução de Amenófis III - Cícero Moraes

"Indefinido no conhecimento histórico, Amenófis III tinha uma aparência robusta, por isso usamos dados de indivíduos com alto índice de massa corporal", explicou Moraes ao Mail. "Se não nos enganamos, esta é a primeira aproximação facial do faraó".

"Comparando com outras aproximações de faraós que já participei, essa foi a mais completa também, pois modelamos as roupas e acessórios. Ficamos maravilhados com o resultado final; ver um busto completo com essas cores e a serenidade facial é bastante satisfatório", declarou.

É o nosso presente para todos aqueles que apreciam a história", encerra Cícero Moraes.