Notícias » Estados Unidos

Americano confessa ter jogado a esposa de avião 20 anos após condenação

Em 2020, o ex-cirurgião plástico Robert Bierenbaum disse que matou sua mulher e lançou o corpo no oceano

Paola Orlovas, sob supervisão de Isabela Barreiros Publicado em 23/10/2021, às 08h57

Foto ilustrativa
Foto ilustrativa - Getty Images

Após passar mais de vinte anos preso pelo assassinato de sua esposa, o ex-cirurgião plástico Robert Bierenbaum confessou o crime, pelo qual havia sido condenado em 2000. Pela primeira vez, disse ter matado Gail Katz e ainda entregou a forma que escondeu o corpo: jogando ele em um oceano, usando um avião.

Dada como desaparecida em 1985, o corpo de Katz nunca foi encontrado, e Bierenbaum passou três décadas se defendendo e se afirmando inocente, até que, em dezembro de 2020, em meio a uma audiência para receber liberdade condicional, o homem confessou seu crime. 

Por meio da transcrição da audiência, que a emissora ABC News conseguiu obter, pode-se ler os motivos de Robert: “Eu queria que ela parasse de gritar comigo e eu a ataquei”, disse ele para os presentes. Além disso, a vítima, Gail, morreu ao ser estrangulada por ele antes de ser jogada no mar.

Bierenbaum, que não conseguiu a liberdade condicional, foi considerado culpado pelo homicídio há 21 anos, quando promotores de seu caso conseguiram trazer evidências circunstâncias convincentes, que acabaram sendo idênticas a confissão feita pelo antigo médico, como Dan Bibb, um deles, diria em depoimento para a ABC:

Eu estava tipo, ‘Puxa vida, você está brincando comigo? Fiquei surpreso porque sempre pensei que esse dia nunca chegaria, que ele iria confessar, assumir a responsabilidade por ter matado sua esposa.

A próxima audiência do ex-cirurgião plástico condenado está marcada para novembro.