Notícias » Arqueologia

Âncora de 2,3 mil anos, dedicada à deusa Afrodite, é resgatada no fundo do mar Mediterrâneo

O objeto é do Período Helenístico e estava próximo à ilha da Sicília, a mais de 18 metros de profundidade. Veja vídeo da descoberta!

Vanessa Centamori Publicado em 01/06/2020, às 13h00

Pesquisadores mergulham e encontram âncora de 2,3 mil anos
Pesquisadores mergulham e encontram âncora de 2,3 mil anos - Divulgação

Uma equipe italiana de pesquisadores descobriu um tesouro que permaneceu escondido nas profundezas do Mar Mediterrâneo há mais de dois milênios: uma fantástica âncora de pelo menos 2,3 mil anos, que estava próxima à ilha da Sicília. 

O objeto, feito de chumbo, possui um símbolo de golfinho. Segundo os especialistas, a presença desse mamífero aquático é um sinal de homenagem à deusa Afrodite, cujo papel na mitologia grega não é só de representar o amor e a beleza, mas também proteger os navegantes dos mares. 

A âncora em homenagem à Afrodite foi datada como sendo do século 3 a 4 a.C, ou seja, pertence ao Período Helenístico. Esse tempo histórico começou com a morte de Alexandre, o Grande, em 323 a.C, e terminou com o surgimento do Império Romano por volta de 31 a.C.

Segundo os pesquisadores, os mares sicilianos estão repletos de relíquias antigas desse período. Dessa vez, a descoberta foi feita por acaso por Marcello Basile, gerente de um centro de mergulho da Sicília.

A âncora estava a 18,3 metros de profundidade. Assim que foi avistada, o mergulhador tratou de avisar a organização de patrimônio e meio ambiente Soprintendenza del Mare, responsável pela busca que recuperou o peso no fundo do mar. 

Veja abaixo o vídeo do resgate do artefato histórico: