Notícias » África

Anistia pede libertação de jovens detidos e supostamente torturados no Sudão

Os adolescentes foram presos durante protestos pró-democracia na capital do país, que vem acontecendo desde outubro de 2021

Redação Publicado em 03/03/2022, às 10h38

Protesto em novembro de 2021 na cidade de Omdurman, Sudão
Protesto em novembro de 2021 na cidade de Omdurman, Sudão - Getty Images

Dois adolescentes detidos e supostamente torturados no Sudão durante protestos pró-democracia na capital do país, Cartum, que vem acontecendo desde outubro de 2021, devem ser libertados, declarou a Anistia Internacional nesta quinta-feira, 3.

“Existem preocupações críveis de que os jovens foram sequestrados e mantidos sem acusação, em violação de seus direitos ao devido processo e submetidos a tortura durante a detenção”, afirmou a organização em comunicado.

A Anistia solicitou que Mohamed Adam, conhecido como Tupac, de 17 anos, e Mohamed al-Fateh, de 18, fossem libertados ou julgados por um tribunal independente. Eles estão presos sem acusação pelo governo do Sudão desde 15 de janeiro.

Como reportou o jornal britânico The Guardian, os jovens foram detidos por suposta conexão com o assassinato de um policial durante as manifestações. No entanto, um deles, Fateh, não estaria envolvido nos protestos, estando em uma mesquita nas proximidades.

O outro adolescente faria parte de um grupo chamado Ghadiboun, que significa “as pessoas enfurecidas”. Ele foi retirado de seu leito de hospital pelas autoridades enquanto estava se recuperando de um ferimento causado por uma lata de gás lacrimogênio durante os protestos.

Segundo a advogada que representa os jovens, Rana Abdulghafar Abdulraheem, os dois foram torturados durante a detenção. Fateh estaria com queimaduras de cigarro na cabeça, não sendo permitido receber visitas.

Acredito que eles não queriam que o víssemos por que ele estava em má forma”, afirmou a defesa.

Tupac também não estaria recebendo remédios para seus problemas de pressão arterial nem poderia consultar um médico, informou sua mãe. Os dois tiveram os pedidos para examinação por médicos recusados.

Desde outubro de 2021, o Sudão vem enfrentando ondas de protestos violentos na capital, Cartum, em resposta ao golpe militar, já que o país esperava poder fazer uma transição para o regime democrático, que não aconteceu. Durante as manifestações, centenas de pessoas foram detidas, algumas morreram e outras ficaram feridas.