Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Elon Musk

Antecipando recessão, Elon Musk anuncia corte de funcionários na Tesla

Decisão foi revelada hoje, 21, durante o Fórum Econômico do Catar

Fabio Previdelli Publicado em 21/06/2022, às 11h02

Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX - Getty Images
Elon Musk, CEO da Tesla e da SpaceX - Getty Images

Nesta terça-feira, 21, durante o Fórum Econômico do Catar, organizado pela Bloomberg, o bilionário Elon Musk afirmou que, por conta da grande chance de recessão nos Estados Unidos, demitirá 10% dos empregados assalariados da Tesla nos próximos três meses. 

Com a decisão, a redução afetará apenas 3,5% do número total de funcionários da montadora de carros elétricos, afinal, grande parte dos empregados da Tesla não possuem salários fixos, sendo pagos por horas trabalhadas. 

Por outro lado, conforme aponta matéria publicada pelo G1, Musk espera poder aumentar o número de trabalhadores que não possuem salários fixos. 

Demissões da Tesla

No último domingo, 19, dois ex-funcionários da Tesla entraram com um processo contra a empresa de Elon Musk. Segundo alegam, a montadora violou uma lei federal ao realizar uma demissão "em massa” de cerca de 500 pessoas.

De acordo com John Lynch e Daxton Hartsfield — demitidos, respectivamente, em 10 e 15 de junho —, eles não receberam aviso prévio dos cortes. "A Tesla simplesmente notificou os funcionários de que suas rescisões entrariam em vigor imediatamente", apontam na queixa. 

Com o fato, a dupla busca receber a remuneração e benefícios pelo período de notificação de 60 dias. 

É muito chocante que a Tesla tenha violado descaradamente a lei trabalhista federal demitindo tantos trabalhadores sem fornecer o aviso necessário", aponta Shannon Liss-Riordan, advogada da dupla, à Reuters.