Notícias » Brasil

Antes da captura, Lázaro criou perfil falso para acompanhar as buscas

O suspeito foi preso e morto nesta segunda-feira, 28, mas teria procurado atualizações do caso através das redes sociais

Pamela Malva Publicado em 28/06/2021, às 13h00

Lázaro em imagem capturada por câmera de segurança
Lázaro em imagem capturada por câmera de segurança - Divulgação/ Polícia Civil

Depois de 20 dias de buscas incessantes por Lázaro Barbosa, a polícia finalmente conseguiu colocar as mãos no homem, que acabou sendo morto durante a abordagem. Agora, investigadores rastreiam um perfil falso supostamente criado pelo suspeito para acompanhar as notícias da própria caçada, segundo revelou a Agência Brasil.

Durante as operações, que mobilizaram mais de 270 agentes de Goiás, Lázaro chegou a invadir diversas propriedades rurais. Nesse meio tempo, de acordo com os oficiais, ele teria utilizado um celular roubado em Edilândia para criar uma conta falsa no Instagram.

Através desse perfil, que não tinha quaisquer publicações, Lázaro seguia diversos veículos de comunicação e, assim, acompanhava as informações das buscas. No último final de semana, inclusive, a conta alcançou 2,8 mil curiosos seguidores.

Agora, portanto, a polícia busca verificar se o perfil realmente pertencia ao homem, suspeito de matar quatro pessoas em Ceilândia. Caso a conta seja veridicada, ela poderia ter facilitado (e muito) os esforços do procurado durante suas fugas pela mata.

Momento em que os policiais carregam Lázaro Barbosa / Crédito: Divulgação/Vídeo/Via G1

 

A prisão e a morte de Lázaro

Logo nas primeiras horas desta segunda-feira, 28, o governador do estado de Goiás, Ronaldo Caiado, revelou que Lázaro Barbosa, procurado há mais de 20 dias, havia sido preso. Poucos momentos depois, contudo, informações do G1 confirmaram que o suspeito foi morto em Águas Lindas de Goiás, aos 32 anos.

Durante o período das buscas pelo suspeito, realizadas por mais de 270 agentes da região, Lázaro invadiu ao menos 11 fazendas, baleou moradores, dois agentes da Polícia Militar e um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), além de ter feito uma família de refém durante cerca de duas horas.

Agora, após ser detido pelos oficias da região, Lázaro Barbosa foi baleado e, segundo o G1, faleceu durante a abordagem. As polícias responsáveis pelas buscas ainda não divulgaram mais informações sobre a morte do suspeito.