Notícias » Brasil

Anvisa permite que testes com a Butanvac sejam ser realizados em humanos

A vacina do Instituto Instituto Butantan não depende de insumos vindos de outros países. Entenda!

Giovanna Gomes, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 10/06/2021, às 07h50

Imagem de produção de vacinas
Imagem de produção de vacinas - Getty Images

De acordo com informações da CNN, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), autorizou na última quarta-feira, 9, a pesquisa clínica da vacina Butanvac. Agora, testes em humanos poderão finalmente ser realizados. Porém, a Anvisa ressalta que, antes de iniciá-los, o Instituto Butantan ainda terá de apresentar algumas informações sobre os testes que já estão em andamento. 

Ao longo do último bimestre, o instituto realizou uma série de reuniões com a agênca a fim de esclarecer todos os procedimentos a serem feitos, além de garantir a segurança dos voluntários.

Ao saber da notícia, o governador de São Paulo, João Doria, publicou um tweet agradecendo pela aprovação: "A Anvisa acaba de autorizar os testes clínicos com a ButanVac, a vacina do Butantan contra a Covid-19, que não depende de insumos de outros países para sua produção", escreveu o político. "O Instituto Butantan já tem 7 milhões de doses prontas da ButanVac. Grande notícia. Obrigado Anvisa!", finalizou.

Segundo informações divulgadas pela agência, o estudo deverá ser realizado no Hospital das Clínicas (FMUSP) e no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto — a pesquisa clínica de fase 1 e 2 será dividida em três etapas: A, B e C. A primeira etapa, já permitida, contará com 400 voluntários.

Ao final das fases 1 e 2, cerca de 6 mil voluntários terão participado dos testes, que serão realizados com a aplicação de duas doses com intervalo de 28 dias entre a primeira e a segunda.