Notícias » Arqueologia

Ao estrear detector de metais, homem faz uma das maiores descobertas da história da Dinamarca

Ole Ginnerup Schytz nunca tinha usado o seu novo equipamento, mas acabou se surpreendendo com o achado; e com sua sorte!

Pamela Malva Publicado em 08/09/2021, às 19h00

Fotografia de algumas das peças encontradas por Ole Ginnerup
Fotografia de algumas das peças encontradas por Ole Ginnerup - Divulgação/ VejleMuseeerne

Entusiasta da arqueologia, o dinamarquês Ole Ginnerup Schytz procurava por novos hobbies quando comprou um detector de metais. Mal ele imaginava que, ao usar o equipamento pela primeira vez, encontraria um dos maiores tesouros de seu país.

Em entrevista à emissora local TV2, o homem narrou que tudo começou no dia em que ele explorava o terreno de um ex-colega de classe em Vindelev. Sem muitas expectativas, ele se surpreendeu quando seu detector apitou ao se aproximar do chão.

"Eu não tinha ideia do que era, então a única coisa que pude pensar foi que parecia a tampa de uma lata de arenque azedo”, narrou Ole, lembrando do momento em que escavou o solo e encontrou um pequeno pedaço de metal dobrado, segundo o UOL.

Curioso, o entusiasta continuou cavando e, ao final de sua inesperada expedição, conseguiu reunir 22 preciosas peças de ouro, que pesavam cerca de 1 kg. Com os artefatos curiosos em mãos, então, ele acionou arqueólogos, que exploraram o local.

Ole Ginnerup Schytz com seu detector de metais / Crédito: Divulgação/ TV2

 

Os tesouros encontrados por Ole

De acordo com os profissionais, o tesouro encontrado pelo dinamarquês foi enterrado em meados do século 6 sob uma antiga construção de um chefe de clã. Por isso, inclusive, ele representaria uma das maiores descobertas da história do país.

As 22 peças encontradas por Ole foram classificadas como medalhões bracteatas, decorados por símbolos mágicos e runas, uma das formas de escrita mais antigas. Segundo os especialistas, eles teriam sido usados por mulheres que pediam proteção.

Além dos símbolos, os artefatos ainda contam com imagens do deus nórdico Odin e do imperador romano Constantino, do século 4. Para o pesquisador Peter Vang Petersen, do Museu Nacional da Dinamarca, inclusive, tais peças trazem informações valiosas do período pré-vikings, no final da Idade do Ferro.

"Aqui vemos a mitologia nórdica em sua infância", explicou o especialista, ainda de acordo com o UOL. "Os escandinavos sempre foram bons em obter ideias do que viam em países estrangeiros e, em seguida, transformá-las em algo que lhes convinha."

Acontece que a região onde a descoberta foi feita é conhecida por ter abrigado grandes líderes vikings que governaram na Europa entre os séculos 10 e 12. Os pesquisadores, no entanto, não possuem muitas informações acerca de eras mais antigas dessa área.

Especialistas, portanto, acreditam que o achado do homem ainda mostra que a região era um importante ponto comercial, ligado ao Império Romano. E Ole não poderia estar mais orgulhoso. “A Dinamarca tem 43.000 quilômetros quadrados, e então eu escolhi colocar o detector exatamente onde esta descoberta estava. Foi pura sorte", diz.