Notícias » Brasil

Ao lamentar assassinato de homem negro em supermercado no RS, vice-presidente afirma que 'no Brasil não existe racismo'

Hamilton Mourão disse que racismo é 'coisa que querem importar para o Brasil', ao falar sobre a morte de João Alberto Freitas

Redação Publicado em 20/11/2020, às 16h22

Fotografia de Hamilton Mourão
Fotografia de Hamilton Mourão - Wikimedia Commons

Nesta sexta-feira, 20, Hamilton Mourão, vice-presidente da República afirmou que "no Brasil não existe racismo". A fala do político aconteceu após ele ser questionado sobre a morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos.

O homem negro foi espancado até a morte em uma unidade do supermercado Carrefour, por dois sujeitos brancos, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, na noite da última quinta-feira, 19. O caso aconteceu na véspera do Dia da Consciência Negra, comemorado hoje, 20. 

De acordo com informações do portal de notícias G1, Mourão declarou três vezes que a morte do soldador não foi motivada por questões raciais:

"Lamentável, né? Lamentável isso aí. Isso é lamentável. A princípio, é segurança totalmente despreparada para a atividade que ele tem que fazer [...] Para mim, no Brasil não existe racismo. Isso é uma coisa que querem importar aqui para o Brasil. Isso não existe aqui", disse o vice-presidente para os jornalistas.

Quando questionado mais uma vez por repórteres, Mourãocontinuou afirmando que o ocorrido não envolve motivações raciais, dizendo que isso acontece nos Estados Unidos, mas, no Brasil não.

“Digo para você com toda a tranquilidade: não tem racismo aqui [...] porque eu morei nos EUA: racismo tem lá. Eu morei dois anos nos EUA, e na escola em que eu morei lá, o 'pessoal de cor' andava separado, [o] que eu nunca tinha visto isso aqui no Brasil [...] fiquei impressionado com isso aí”, afirmou Mourão.