Notícias » Europa

Após reforma, casal encontra itens medievais para espantar bruxas e demônios

Entre os achados estavam oito pés esquerdos de sapatos, crânios de animais e canos de arma. Confira imagens!

Fabio Previdelli Publicado em 07/12/2020, às 11h30 - Atualizado às 14h39

Alguns dos itens encontrados na casa
Alguns dos itens encontrados na casa - Divulgação/ Kerrie e Bleddyn Jackson

Uma situação inusitada pegou de surpresa o casal de britânicos Kerrie e Bleddyn Jackson enquanto eles reformavam sua casa em North Wales, no Reino Unido. “Bleddyn estava trabalhando no quarto ao lado quando viu algo pelo buraco que ele havia feito na parede”, explica Kerry ao portal Wales Online

O buraco, em questão, foi feito em um cômodo ao lado de uma escada, que data de 1680. "A escada foi construída através de uma porta medieval selada que antes conectava diferentes partes da casa, e o vazio embaixo dela foi exposto pelos reparos realizados na velha estrutura de madeira”, conta. 

A escadaria da casa / Crédito: Divulgação/ Kerrie e Bleddyn Jackson

 

No entanto, o espaço não estava tão vazio assim, já que o casal achou oito sapato (todos do pé esquerdo), a parte de um chapéu, canos de arma e o crânio de dois animais – um de um cavalo e outro de um animal que não foi identificado.  

Sem terem ideia do aquilo significava ou a quem aquilo pertencia, eles foram procurar explicações plausíveis na internet. Foi quando o casal se surpreendeu ainda mais. Segundo descobriram, os antigos acreditavam que “que as bruxas podiam entrar ‘através’ de lugares (como portas, escadas etc.)”. 

Os crânios encontrados / Crédito: Divulgação/ Kerrie e Bleddyn Jackson

 

Kerrie explica que, sendo assim, sapatos velhos eram deixados como ‘iscas’ para atrair bruxas e demônios e proteger os residentes da casa. Os seres malignos seriam atraídos pelo cheiro dos calçados e, ao” entrar” neles, jamais conseguiriam sair.  

“Não é preciso dizer que colocamos cuidadosamente tudo de volta ao lugar”, disse a esposa, que assegurou que eles não estão com medo dos achados. “Frequentemente nos deparamos com coisas peculiares nesta velha casa que nos conectam com o passado — acreditamos que é importante registrar o que encontramos e devolver para as gerações futuras descobrirem”, disseram.