Notícias » Estados Unidos

Apesar de laudo, advogado de policial afirma que George Floyd teria morrido de overdose

A acusação surgiu depois de terem analisado as filmagens nas câmeras corporais dos policiais

Caio Tortamano Publicado em 19/08/2020, às 15h26

O americano George Floyd
O americano George Floyd - Divulgação - Twitter

Conforme apontado pelo portal UOL, o advogado de um dos policiais envolvidos na morte do ex-segurança George Floyd alegou que a causa da morte do homem teria sido, na verdade, em decorrência de uma overdose. Oficialmente, tanto imagens quanto laudos médicos apontam que o rapaz faleceu por sufocamento, uma vez que tinham três policiais com os joelhos em cima de suas costas.

O advogado em questão defende o policial Thomas Lane, acusado de ser cúmplice por homicídio culposo — quando não há intenção de matar — de Floyd. A suposta alegação viria por uma análise feita com vídeos nas câmeras corporais dos policiais depois que foram vazadas pelo jornal Daily Mail.

O defensor de Lane, Earl Gray, afirma ser possível identificar uma mancha branca na língua de Floyd nas filmagens, que seriam “dois miligramas de fentanil, uma dose letal”, de acordo com entrevista dada a um jornal local de Minneapolis — local do assassinato.

Isso também iria de encontro com uma autópsia realizada no morto que identificou a presença de fentanil no organismo, não o suficiente para tê-lo matado. A morte de George Floyd revoltou a sociedade, que organizou manifestações em diversas cidades dos Estados Unidos e no mundo, em busca de justiça para pessoas vítimas da brutalidade policial e contra o racismo.