Notícias » Brasil

Após 22 dias, Amapá volta a ter 100% de distribuição de luz

Crise no Estado começou após um raio atingir um dos transformadores. Com isso, 13 dos 16 municípios do Amapá sofriam com apagões e rodízios de energia

Fabio Previdelli Publicado em 24/11/2020, às 13h10

Montagem do segundo transformador
Montagem do segundo transformador - Divulgação/ LMTE

De acordo com a Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LMTE), na madrugada de hoje, 24, finalmente foi restabelecido a o fornecimento de energia, de forma definitiva, aos 13 dos 16 municípios do Amapá que sofriam com apagões há 22 dias, quando os transformadores de uma subestação pegaram fogo no dia 3 de novembro.  

Com isso, o Amapá volta a ter 100% de sua distribuição de luz, o que coloca fim aos rodízios. O Ministério de Minas e Energia (MME) também confirmou a retomada integral por meio de uma nota oficial.  

Antes, a previsão de instalação do segundo transformador, que veio de Laranjal do Jari, um município a mais de 260 quilômetros do Macapá, era para o dia 26 de novembro. Mas a empresa conseguiu antecipar esse prazo.  

"A LMTE está integralmente mobilizada desde o acidente e trabalhou incansavelmente em conjunto com os demais órgãos governamentais para que a carga voltasse a 100% antes do prazo máximo estabelecido. A companhia reforça que se solidariza com todos os amapaenses e informa que seguirá empenhada a minimizar os impactos e em transportar energia segura para o estado do Amapá", declarou a LMTE. 

A Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), que distribui a energia para a população, informou que o fornecimento voltara a ser como era antes do blecaute. "Com este transformador operando, o fornecimento foi garantido em 100% para atender os 13 municípios que foram afetados com o acidente na Subestação Macapá no dia 3 de novembro". 

Apesar do restabelecimento, o Comitê de Acompanhamentos de Crise ainda trabalha para a instalação de um terceiro transformador, que será enviado nos próximos dias de Boa Vista, em Roraima. Com ele, o Amapá terá a segurança recomendada para evitar novos apagões. 

Amapá sem luz 

A crise no Amapá começou com um raio atingindo um dos três transformadores de energia da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA). A descarga elétrica foi tão grande que o transformador pegou fogo, que acabou se espalhando para os outros dois. 

Já os equipamentos de backup estavam parados há quase um ano para manutenção, sem ninguém saber informar o motivo de tanta demora. Assim, com a falta de transformadores, a população ficou 22 dias sem contarem com o abastecimento de energia, que acontecia em poucos períodos.