Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Europa

Após 300 anos perdido, manuscrito de Padre António Vieira é encontrado

"Clavis Prophetarum" foi achado por pesquisadores portugueses e italianos

Fabio Previdelli Publicado em 31/05/2022, às 16h54

Manuscrito de Padre António Vieira - Universidade de Lisboa
Manuscrito de Padre António Vieira - Universidade de Lisboa

Na última segunda-feira, 30, pesquisadores de Portugal e da Itália anunciaram a descoberta do manuscrito "Clavis Prophetarum" (ou ‘Chave dos Profetas’, em tradução livre). Escrito por Padre António Vieira, os originais estavam perdidos há mais de 300 anos. 

De acordo com os investigadores, que falaram pela primeira vez sobre a descoberta em uma apresentação no anfiteatro 1 da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, o achado se deu em 2020. O manuscrito estava nos arquivos da Biblioteca Gregoriana, de Roma. 

Acabou o mito de que o original não existe. O trabalho para se desvendar os segredos da Clavis Prophetarum só agora começou”, declarou Ana Travassos Valdez, pesquisadora portuguesa responsável pela descoberta.

Restauração curiosa

De acordo com o jornal portugês ‘O Público’, um fato chamou a atenção sobre o antigo manuscrito: ele já havia passado por restauração. O que surpreendeu os pesquisadores foi o fato de que a escritura teve suas páginas coladas com farinha de mandioca.

Manuscrito de Padre António Vieira/ Crédito: Universidade de Lisboa

Com o achado, os pesquisadores deram início a uma edição com o único livro completo escrito por Padre António Vieira. Neste momento, o projeto está em fase de transcrição. Até então, trechos do manuscrito Clavis Prophetarum já eram conhecidos, mas nunca se soube sobre sua versão completa. 

Com a descoberta, Travassos espera poder ter um conhecimento mais amplo do texto. “Vamos ver as surpresas que saem de lá de dentro. É uma caixa de Pandora”.