Notícias » China

Após 32 anos, casal reencontra filho sequestrado na China

Garoto de dois anos foi levado enquanto seu pai lhe buscava um copo d’água, deixando a família em três décadas de agonia

Fabio Previdelli Publicado em 19/05/2020, às 13h00

O reencontro dos pais com o filho que foi sequestrado
O reencontro dos pais com o filho que foi sequestrado - CCTV

Em 1988, uma criança de apenas dois anos, Mao Yin, foi sequestrada de um hotel quando seu pai parou para beber um pouco de água a caminho do berçário. Hoje, 32 anos depois, a família, enfim, está junta novamente.

O pesadelo começou em 17 de outubro de 1988, quando seu pai, Mao Zhenjing, o levava para um berçário na cidade de Xian, na província de Shaanxi, na China. Na ocasião, o garoto disse que estava com sede e Zhenjing decidiu parar em um hotel na estrada. Entretanto, quando desviou o olhar para pegar um copo, o menino foi levado.

A partir daí, começou uma intensa busca pela criança. Sua mãe, Li Jingzhi, deixou o emprego e chegou a percorrer mais de 10 província e municípios no país a procura do filho. Junto com o marido, entregaram mais de 100 mil folhetos com a foto da criança, mas nunca tiveram sucesso na busca.

Fotod da família reunida pela primeira vez após 32 anos / Crédito: CCTV

 

Ao longo dos anos, Jingzhi chegou a aparecer em diversos programas de televisão chineses para pedir ajuda e até mesmo se voluntariou em um grupo chamado “Baby Come Back Home”, que visa ajudar os pais a procurarem seus filhos desaparecidos. Segundo uma mídia estatal, nesse período, ela chegou a encontrar 29 crianças que foram sequestradas — e pretende continuar firme no projeto.

Como Mao Yin foi encontrado?

Em abril desse ano, a policia chinesa recebeu uma pista de um homem da província de Sichuan, no sudoeste da China, a cerca de mil quilômetros de Xian, que havia adotado um bebê anos antes.

A polícia seguiu as dicas e encontrou o menino que foi adotado, que agora tem 34 anos. Após a realização de um teste de DNA, foi confirmado que ele era mesmo filho de Li Jingzhi e Mao Zhenjing.

Mao Yin, que passou a ser chamado de Gu Ningning, é responsável por administrar uma empresa de decoração. Ele disse que "não tinha certeza" sobre o futuro, mas que passaria um tempo com seus pais.

A polícia informou que ele foi vendido a um casal sem filhos por 6 mil ienes, algo em torno dos 4.800 reais em cotação atual. A notícia foi dada a Li no dia 10 de maio, quando o país celebra o Dia das Mães. "Este é o melhor presente que já recebi", disse ela.