Notícias » Ciência

Após 48 anos em órbita, foguete da URSS volta para a atmosfera terrestre

Em dezembro de 1973, o veículo foi lançado pela antiga União Soviética para que liberasse um satélite no espaço

Pamela Malva Publicado em 26/07/2021, às 14h00

Imagem meramente ilustrativa de foguete
Imagem meramente ilustrativa de foguete - Divulgação/ Pixabay/ WikiImages

No dia 26 de dezembro de 1973, a então União Soviética lançou um foguete até a órbita da Terra para liberar um satélite no espaço. Na última sexta-feira, 23, depois de 48 anos perdido, o veículo espacial entrou na atmosfera da Terra mais uma vez.

Naquele ano, a URSS colocou o satélite SL-8 R/B em órbita para que pudesse analisar a própria atmosfera terrestre e, após liberar o objeto, o foguete foi descartado, segundo o site francês Netcost-Security. Sua trajetória, então, deixou de ser monitorada.

Décadas mais tarde, foi o Comando Estratégico dos Estados Unidos (USStratCom) quem identificou a queda do foguete russo, que não apresentava qualquer risco. Isso porque, segundo a instituição, o foguete Kosmos-3M deveria ter cerca de 80% de sua estrutura queimada pelos gases atmosféricos, além de ser fragmentado pela resistência do ar.

Com mais de 20 toneladas quando lançado, o foguete russo acabou perdendo grande parte de seu combustível durante as mais de quatro décadas em órbita. Com isso, o veículo com 6 metros de comprimento passou a pesar apenas 1,4 toneladas.