Notícias » Vanezuela

Após 751 dias, Venezuela libera deputado opositor de Maduro que estava preso

“Ninguém deve ter um ser querido preso apenas por exigir que seu país viva em liberdade", declarou Juan Requesens ao sair da prisão

Fabio Previdelli Publicado em 29/08/2020, às 10h35

Juan Requesens durante discurso
Juan Requesens durante discurso - Divulgação/ YouTube/ VPItv

Em 7 de agosto de 2018, o deputado Juan Requesens foi preso ao ser acusado de integrar grupo que planejou suposto atentado contra Nicolás Maduro, com um drone explosivo. Agora, 751 dias depois, ele, enfim, foi solto.

“MEU IRMÃO JUAN ESTÁ EM CASA”, comemorou em letras garrafais sua irmã, Rafaela, em sua conta no Twitter. Desde que foi preso, Requesens ficou detido na temida prisão de Helicoide, em Caracas, que é destinada exclusivamente os inimigos da ditadura de Maduro. Além do mais, o espaço é sede do Serviço Bolivariano de Inteligência Nacional (Sebin).

"Os últimos dois anos foram um desafio enorme para mim e para a minha família. Um desafio que nenhuma pessoa deveria viver, porque ninguém deve ter um ser querido preso apenas por exigir que seu país viva em liberdade", disse Juan ao ser liberado.

Membro do partido Primeiro Justiça, o mesmo do ex-candidato à Presidência Henrique Capriles, Requesens é conhecido por seus discursos fervorosos contra o regime ditatorial de Maduro. Nos últimos anos, a figura do deputado se tornou um símbolo para os jovens venezuelanos que estão insatisfeitos com a crise humanitária, política e econômica que afeta o país.