Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Caixão

Após abrir caixão, família se depara com serragem em vez de corpo de bebê

Caso aconteceu em Imbaú, no Paraná

Redação Publicado em 02/08/2022, às 09h32

Vídeo mostra serragem em caixão que deveria conter feto - Divulgação/Vídeo/UOL
Vídeo mostra serragem em caixão que deveria conter feto - Divulgação/Vídeo/UOL

Uma família de Imbaú, no Paraná, estava tentando realizar o velório de um bebê que morreu por uma complicação durante a gestação quando decidiu abrir seu caixão e se deparou com serragem em vez do corpo da criança.

Segundo o jornal Extra, o pai do bebê, Eduardo Jangada, contou como não queria abrir o caixão durante o sepultamento, mas que o pai havia insistido para colocar uma “roupinha” no recém-nascido.

“Eu não queria abrir o caixão, para sofrer menos. É o segundo bebê que a gente perde. Na hora que abriu eu entrei em desespero, minha filha não estava no caixão”, disse à publicação.

Como relatou a advogada da família Débora Santos ao UOL, a mãe do bebê havia o perdido no fim da noite da última sexta-feira, 29, tendo que passar por um parto induzido para a retirada do feto.

Eles, então, receberam um invólucro que deveria conter o feto quando foram até o necrotério do hospital com o intuito de velá-lo, mas, quando abriram o caixão, perceberam que os restos mortais não estavam ali.

O que dizem as autoridades

Sobre o caso, a Polícia Civil informou que instaurou um inquérito policial para realizar uma investigação e que já faz diligências para esclarecer a situação . "Oitivas serão realizadas nos próximos dias", disse em nota oficial.

Já a unidade médica onde tudo aconteceu comunicou ao UOL que "revisitou todas as etapas do protocolo de óbito da instituição", o que "confirmou que o corpo foi devidamente identificado no centro cirúrgico e encaminhado diretamente ao necrotério do hospital, aguardando a retirada pela funerária".

"A instituição disponibilizou o acesso ao necrotério para o agente funerário, que realizou os processos acompanhado por dois familiares do bebê e assinou o protocolo de retirada do corpo. Mais tarde, o hospital recebeu a informação de que o corpo não havia sido levado pela funerária. Equivocadamente, o corpo não foi retirado, permanecendo no necrotério até o fim da tarde quando, após o desfecho do caso, foi levado pela funerária para a família", acrescentou.


+O site Aventuras na História está no Helo! Não fique de fora e siga agora mesmo para acessar os principais assuntos do momento e reportagens especiais. Clique aqui para seguir!