Notícias » Brasil

Após agressões verbais, padre deve entrar para programa de proteção

Aos 82 anos, o pároco Lino Allegri foi hostilizado por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro em dois episódios diferentes

Pamela Malva Publicado em 22/07/2021, às 13h00

Imagem meramente ilustrativa de bíblia
Imagem meramente ilustrativa de bíblia - Divulgação/ Pixabay/ stempow

Em julho deste ano, o padre Lino Allegri, de 82 anos, foi alvo de agressões verbais em dois diferentes episódios. Agora, o pároco deve entrar para o Programa Estadual de Proteção aos Defensores e Defensoras de Direitos Humanos (PPDDH).

Segundo O Globo, Allegri foi hostilizado por apoiadores de Jair Bolsonarodurante duas missas celebradas em Fortaleza. Depois disso, o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos (CEDDH), a Defensoria Pública do Ceará (DPCE) e o Ministério Público do Estado (MPCE) pediram pela intervenção do programa de produção.

As agressões mais recentes aconteceram no dia 11 de julho. Naquele domingo, enquanto Allegri realizava a cerimônia, um homem entrou na Paróquia Nossa Senhora da Paz e começou a gritar com o padre. Toda a cena foi transmitida pela internet e é possível ouvir o suspeito gritando: "este padre transformou o altar em um palanque político".

Uma semana antes, enquanto lamentava as 500 mil mortes causadas pelo Coronavírus no Brasil, o pároco foi vítima de mais agressões verbais, dessa vez cometidas por um grupo de oito pessoas. Por fim, Allegri afirmou que, além dele, outros membros da Igreja também têm recebido ameaças tanto nas redes sociais, quanto no WhatsApp.