Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Após ataque, ex-primeiro-ministro Shinzo Abe morre no Japão aos 67 anos

Governo anunciou a criação de uma força-tarefa para apurar o crime

Alan de Oliveira | sob supervisão de Isabela Barreiros Publicado em 08/07/2022, às 07h54

Ex-primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe - Getty Images
Ex-primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe - Getty Images

Depois de um ataque armado surpresa na cidade de Nara, o ex-primeiro-ministro do JapãoShinzoAbe, de 67 anos, morreu hoje, 8, segundo o relato do canal público NHK. O caso ocorreu durante um evento de campanha eleitoral.

"De acordo com uma fonte do PLD (Partido Liberal Democrata), o ex-primeiro-ministro Abe morreu em um hospital na cidade de Kashihara, na região de Nara, onde estava recebendo tratamento médico. Ele tinha 67 anos", disse a emissora estatal japonesa.

Conforme a apuração do portal UOL, depois do disparo, o ex-premiê foi levado inconsciente ao hospital e teve uma parada cardiorrespiratória, o que culminou na sua morte. Um homem de 40 anos foi preso e desarmado, sendo o principal suspeito do ato.

Em imagens mostradas pela NHK, é possível ver Abe em um palco quando, de repente, se ouve um grande barulho e é possível observar fumaça. Pouco depois, um homem foi imobilizado por agentes de segurança.

"O ex-primeiro-ministro Shinzo Abe foi atingido por tiros em Nara e fui informado que se encontra em estado muito grave. É um ato de barbárie durante a campanha eleitoral, que é a base da democracia, e é absolutamente imperdoável. Condeno este ato nos termos mais fortes”, falou o atual primeiro-ministro do Japão, Fumio Kishida, em declaração pública repercutida por diversos canais de televisão.

Sangue correu pelo pescoço

Segundo uma declaração anônima à agência japonesa Jiji, a vítima caiu após o ataque e sangrava pelo pescoço. Vários meios de comunicação informaram que o ex-chefe de governo foi atacado pelas costas, provavelmente com uma escopeta. 

O governo do Japão anunciou a criação de uma força-tarefa para investigar o homicídio que provocou uma série de reações internacionais.