Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Denúncia

Após denúncia do irmão de Lady Di, polícia investiga abusos sexuais em internato

Em março deste ano, Charles Spencer lançou um livro em que relata ter sido vítima de abuso sexual e castigos físicos; polícia abriu investigação

O internato Maidwell Hall e Charles Spencer - Reprodução / Paradise Education e Getty Imagens
O internato Maidwell Hall e Charles Spencer - Reprodução / Paradise Education e Getty Imagens

As denúncias a um internato vieram à tona através do livro "A Very Private School" ("Uma Escola Muito Privada", em tradução livre), escrito por Charles Spencer, irmão da princesaDiana. Em suas memórias, ele relata ter sido vítima de abuso sexual e castigos físicos enquanto aluno do internatoMaidwell Hall na década de 1970.

As revelações de Spencer, que tinha apenas 11 anos na época dos abusos, causaram grande comoção e consternação. Diante das graves acusações, a polícia de Northamptonshire abriu uma investigação para apurar os crimes na última segunda, 10. As autoridades pedem que outras possíveis vítimas se apresentem para colaborar com as investigações.

O relato de Spencer detalha como um membro do corpo docente o obrigava a manter relações sexuais e o submetia a constante controle e manipulação. O autor também descreve episódios de violência física, como castigos com tacos de críquete aplicados por um professor.

Essa pessoa escolhia um menino a cada trimestre para que dormisse com ele e tivesse relações sexuais", escreve o irmão de Diana Spencer no livro. "O controle dessa pessoa sobre os meninos era total, já que éramos privados do calor feminino e estávamos desesperados por atenção e afeto".

Retratação

Segundo o portal O Globo, na época em que o livro saiu, o internato comentou em comunicado à imprensa: “É difícil ler informações sobre práticas que, infelizmente, às vezes eram consideradas normais e aceitáveis naquela época”, afirmou a direção do estabelecimento, acrescentando que o funcionamento da escola havia "evoluído consideravelmente desde os anos 1970".