Notícias » Estados Unidos

Após destruir coleção adulta avaliada em 127 mil reais, casal é processado por filho

Acervo de David Werking era formado por 12 caixas de mudança, contendo 1.605 DVDs e fitas VHS e mais de 50 acessórios sexuais

Fabio Previdelli Publicado em 19/12/2020, às 11h06

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Pixabay

Nos Estados Unidos, David Werking processou seus pais, Paul e Beth Werking, por terem destruído uma coleção de filmes pornôs avaliada em 25 mil dólares, algo em torno dos 127 mil reais. As informações são da Associated Press.  

Após o julgamento, o juiz federal Paul Maloney ficou a favor de David. O caso ocorreu em 2018 e o processo foi aberto no ano passado, com seu desfecho acontecendo nos últimos dias.

Na ocasião, o rapaz disse que seus pais jogaram seu acervo fora quando ele se mudou da casa deles, onde ficou por 10 meses depois que se divorciou.  

Segundo conta, a justificativa dada por seus pais foi de que eram “donos” do imóvel e que, portanto, tinham autoridade sobre isso. Além do mais, como o filho havia mudado para Indiana, e eles não estavam dispostos a transportar a coleção e também ficaram incomodados com o 'conteúdo' em casa. 

O acervo de David era formado por 12 caixas de mudança “cheias de pornografia e duas caixas de brinquedos sexuais”. Ao todo, o rapaz tinha 1.605 DVDs e fitas VHS e mais de 50 acessórios e itens sexuais.  

"Francamente, David, eu te fiz um grande favor ao me livrar de todas essas coisas para você", escreveu Paul em um e-mail destinado ao filho. Os pais admitiram ter destruído a propriedade de David.  

Sendo assim o juiz decidiu de que 'não há dúvida' que o material pertencia ao rapaz e que, portanto, seus pais não tinham direito de destruí-lo. Com a decisão, Paul Maloney pediu que ambos os lados do processo apresentem um relatório sobre o valor financeiro da coleção. 

"Os réus não citam nenhum estatuto ou processo para apoiar sua afirmação de que os proprietários podem destruir propriedades de que não gostam", declarou o juiz.

Agora, o casal tem até o dia 16 de fevereiro de 2021 para apresentar o documento solicitado sobre o valor devido para recompensar o filho.