Notícias » Personagem

Após explosão fatal em aeroporto de Cabul, Biden se pronuncia: 'Vamos caçá-los'

Episódio ocorrido nesta quinta-feira, 26, deixou mortos e feridos no aeroporto internacional de Cabul, no Afeganistão

Redação Publicado em 26/08/2021, às 21h42

Joe Biden durante o pronunciamento nesta quinta-feira, 26
Joe Biden durante o pronunciamento nesta quinta-feira, 26 - Getty Images

Pessoas ao redor do mundo receberam a trágica notícia de uma explosão ocorrida no aeroporto de Cabul, localizado no Afeganistão, nesta quinta-feira, 26.

Após o episódio, o presidente dos EUA, Joe Biden, se manifestou publicamente após o Estado Islâmico reivindicar a autoria do atentado.

"Não vamos perdoar. Não vamos esquecer. Vamos caçá-los e fazê-los pagarem", enfatizou Joe.

Após ser duramente criticado por ter dado continuidade ao acordo de paz iniciado na era Trump, que visava a retirada das tropas norte-americanas do Afeganistão, Biden disse hoje (26) que ‘terroristas do Estado Islâmico não vão vencer’.

“Vamos resgatar os americanos. Vamos tirar nossos aliados afegãos. E nossa missão continuará. A América não será intimidada”, continuou ele durante o pronunciamento.

Biden também explicou que ordenou o desenvolvimento de planos e disse que vai responder ‘com força’.

Joe Biden durante o pronunciamento /Crédito: Getty Images

 

"Também ordenei aos meus comandantes que desenvolvessem planos operacionais para atacar os principais ativos, liderança e instalações do EI”, explicou o presidente. “Responderemos com força e precisão no nosso tempo, no lugar que escolhermos, no momento de nossa escolha".

Americanos mortos e feridos

Joe também mencionou aqueles que perderam a vida ao tentar ajudar na fuga de afegãos após o grupo Talibã voltar ao poder: "Heróis que se envolveram em uma missão perigosa e altruísta para salvar a vida de outras pessoas", afirmou ele.

Quanto ao número de vítimas que compreendem combatentes do país, o Pentágono menciona um total de 13 militares falecidos e pelo menos 18 feridos.

Já no total, o Afeganistão cita a morte de, pelo menos, 60 pessoas e 140 feridas.