Notícias » Ásia

Após golpe de Estado em Mianmar, Secretário Geral da ONU pede para que a vontade do povo seja respeitada

António Guterres afirma que condena veementemente a prisão de Aung San Suu Kyi

Penélope Coelho Publicado em 01/02/2021, às 10h46

António Guterres
António Guterres - Wikimedia Commons

De acordo com informações publicadas nesta segunda-feira, 1, pela CNN, o secretário-geral da ONU António Guterres, demonstrou sua indignação com a prisão de Aung San Suu Kyi e de outros líderes políticos em Mianmar. Segundo revelado por um porta-voz da ONU, o homem afirmou que condena os atos e fez um apelo para que a liderança militar respeite a “vontade do povo”.

Guterres refere-se à prisão de figuras importantes que lideram Mianmar, a detenção pode levar o país asiático a ser controlado pelo Exército. De acordo com o porta-voz, a ONU acredita que o golpe de Estado em Mianmar representa um grande problema nas reformas democráticas.

“Todos os líderes devem agir no maior interesse da reforma democrática de Mianmar, engajando-se em um diálogo significativo, evitando a violência e respeitando plenamente os direitos humanos e as liberdades fundamentais”, revelou o porta-voz.

A Organização das Nações Unidas não foi a única a se opor contra as detenções. O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, realizou no domingo, 31, um pedido para que os militarem liberem Aung San e os outros líderes detidos.

O mesmo aconteceu com autoridades de outros países, como na Austrália onde a ministra Marise Payne pediu que os militares “respeitem o estado de direito”. Cingapura também demonstra preocupação com a situação no país.