Notícias » Ciência

Com o fim do isolamento social, poluição na China volta aos índices anteriores

De acordo com cientistas, níveis de dióxido de nitrogênio já estão no número que era esperado para essa época do ano

Paola Churchill Publicado em 28/05/2020, às 13h12

A esquerda, a presença de NO2 entre 10 e 25 de fevereiro e a direita, a presença do poluente em 20 de abril e 12 de maio
A esquerda, a presença de NO2 entre 10 e 25 de fevereiro e a direita, a presença do poluente em 20 de abril e 12 de maio - Nasa Earth Observatory

Em fevereiro deste ano, satélites da NASA detectaram uma redução gigantesca de poluentes atmosféricos na China. De acordo com estudiosos, o episódio se deu em consequência das medidas de isolamento social, promovidas diante da pandemia do novo coronavírus. 

Todavia, com o fim da quarentena e lockdown, a atividade econômica do país voltou ao normal e novas fotos de satélites revelaram que os níveis de dióxido de nitrogênio voltaram a ser como eram antes. A volta dos poluentes em grandes quantidades já eram esperadas pelos cientistas, segundo a NASA Earth Observatory.

O dióxido de nitrogênio é emitido principalmente pela queima de combustíveis, usinas de energia e instalações industriais. O NO2 na atmosfera, pode se transformar em ozônio e tornar o ar mais denso e é prejudicial a saúde respiratória. 

Em pesquisas anteriores, cientistas mostraram que a poluição do ar na China geralmente diminui durante as festividades do Ano Novo Chinês, que acontecem sempre em fevereiro e que aumentam gradativamente após o fim das celebrações. 

No entanto, 2020 foi um ano atípico, pois devido às medidas de isolamento social os níveis do dióxido de nitrogênio sobre Whuan e outras cidades chinesas ficaram muito abaixo do que era esperado.