Notícias » Mundo

Após parceria, canadenses poderão comprar maconha pelo Uber Eats

No país, o uso recreativo da planta é permitido, de forma que a empresa decidiu explorar o mercado

Ingredi Brunato, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 23/11/2021, às 20h00

Montagem mostrando o logo da empresa e uma fotografia de maconha
Montagem mostrando o logo da empresa e uma fotografia de maconha - Divulgação/ Uber/ Pixabay/ gjbmiller

O uso recreativo de cannabis é legalizado no Canadá desde 2018, e, recentemente, a Uber anunciou uma parceria com a Tokyo Smoke, uma empresa de varejo que comercializa a erva.

Assim, conforme repercutido pela BBC, será possível para os moradores da província de Ontário fazer pedidos de produtos contendo maconha através de uma seção do Uber Eats. Ela apenas ficará acessível, é claro, depois que o usuário confirmar sua maioridade. 

Um aspecto importante do processo será o fato que, embora a compra seja feita pelo aplicativo, ela não será trazida pelos motoboys da empresa: em vez disso, o cliente precisará buscar o produto na loja mais próxima, uma vez que a distribuição da planta ainda é ilegal no território. 

Oportunidade de negócio

O mercado da cannabis movimenta por volta de 4 milhões de dólares por ano. Sua evidente lucratividade é um grande atrativo, de forma que não a decisão da Uber de se inserir no ramo não é tão surpreendente.

Ainda de acordo com a BBC, a companhia declarou que também tornaria a compra da erva possível na versão norte-americana do aplicativo assim que a legislação dos Estados Unidos tivesse maior flexibilização em relação a esse assunto. 

Outro detalhe interessante é que uma parte do mercado de maconha ainda é dominado por produtores ilegais. Dessa forma, a possibilidade de adquirir a droga utilizando-se da praticidade de um aplicativo de celular poderá fazer com que mais consumidores comprem de locais legítimos, como é o caso da Tokyo Smoke. Assim, essa decisão da Uber é, inclusive, de interesse do governo canadense.