Notícias » Paraguai

Após primeiro caso, mais um brasileiro é encontrado morto com recado no Paraguai

O corpo de Carlos Limar de Souza Lima foi encontrado próximo ao quartel do Exército paraguaio

Redação Publicado em 29/09/2021, às 08h12

Passaporte de Carlos Limar
Passaporte de Carlos Limar - Divulgação / Polícia Nacional do Paraguai

Na última terça-feira, 28, o Aventuras na História comunicou que um brasileiro havia sido encontrado morto na cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, no sábado 25. Junto a seu corpo estava um bilhete assinado em nome dos 'Justiceiros da Fronteira' dizendo: "nao roubar na fronteira". Agora, uma segunda vítima foi identificada, de acordo com o portal de notícias UOL.

Segundo a fonte, o paulista Carlos Limar de Souza Lima, de 38 anos, foi encontrado sem vida na tarde de segunda-feira, na mesma cidade em que o primeiro homem, em um local próximo ao quartel do Exército paraguaio. Assim como no caso anterior, um bilhete foi encontrado junto à vítima.

"Nós do crime estamos deixando claro que não iremos mais admitir covardias cometidas por esses justiceiros, seja quem for. Assinado: O crime", dizia a mensagem.

Segundo as autoridades, é possível que o bilhete tenha servido apenas para despistar as investigações. No entanto, os agentes também trabalham com a hipótese de que Carlos tenha sido vítima do grupo.

De acordo com a polícia local, o brasileiro tinha sinais de tortura, sendo que havia sido decapitado e possuía um corte no abdômen. Como estava sem documentos, o homem foi identificado a partir de suas tatuagens. Entre elas, está uma de um palhaço, que levantou a suspeita da vítima integrar a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), segundo a investigação. As autoridades seguirão em busca de respostas.