Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Território

Após quase 50 anos, Canadá e Dinamarca encerram guerra por ilha no Ártico

Decisão pode marcar a primeira fronteira terrestre entre Canadá e Europa

Éric Moreira, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 16/06/2022, às 12h29

Ilha Hans, localizada no Ártico, entre o Canadá e a Groenlândia - Foto por Toubletap via Wikimedia Commons
Ilha Hans, localizada no Ártico, entre o Canadá e a Groenlândia - Foto por Toubletap via Wikimedia Commons

A pequena Ilha de Hans, com 1,3 quilômetros quadrados, situada entre Ellesmere — região do norte do Canadá — e a Groenlândia — que integra o reino da Dinamarca — era motivo de conflito entre os dois países desde 1973. No ano em questão, uma fronteira marítima entre eles havia sido traçada, passando por cima da ilha, que era requisitada por ambos.

Recentemente, após 49 anos de disputa pelo território, as nações decidiram resolver o conflito dividindo a ilha entre ambos os países, ressaltando a importância de negociações pacíficas em disputas territoriais, em contraste com o conflito entre a Rússia e a Ucrânia que ocorre desde fevereiro.

O Ártico é um farol para a cooperação internacional, onde prevalece o estado de direito", disse a ministra canadense das Relações Exteriores, Melanie Joly, como informado pelo portal de notícias Nossa, da UOL.

"Como a segurança global está ameaçada, é mais importante do que nunca que democracias como Canadá e Dinamarca trabalhem juntas, com os povos indígenas, para resolver nossas diferenças de acordo com o direito internacional", completou.

Guerra do Uísque

No decorrer dos quase 50 anos de disputa pelo território, dinamarqueses e canadenses visitavam a Ilha Hans de tempos e tempos. Cada um colocava ali a bandeira que representa seu país, em cada visita, e deixava uma garrafa de uísque ou um licor tradicional para que o próximo visitante pudesse apreciar. 

Muitos a chamaram de guerra do uísque. Acho que foi a mais amigável de todas as guerras", disse Melanie Joly em tom bem humorado, sobre o conflito já encerrado.