Notícias » Egito

Após quase uma semana, equipe consegue desencalhar meganavio no Canal de Suez

Entretanto, as operações de desobstrução ainda não foram encerradas

Fabio Previdelli Publicado em 29/03/2021, às 09h49

Imagem do meganavio encalhado no meio do Canal de Suez
Imagem do meganavio encalhado no meio do Canal de Suez - Divulgação/Cnes2021/Distribuição Airbus DS

A espera finalmente acabou; após quase uma semana, finalmente, equipes de resgate conseguiram desencalhar o navio de containers Ever Given que havia ficado preso no Canal de Suez. As informações são do Bloomberg.com e foram repercutidas pelo site do jornal O Globo.  

Segundo informações da Autoridade do Canal de Suez (SCA), na madrugada de hoje, 29, a embarcação começou a flutuar e "a posição do navio foi reorientada 80% na direção correta”, revelou Osama Rabie, presidente da SCA.  

"A popa do navio se moveu 102 metros da costa, quando antes tinha apenas quatro metros", acrescentou um comunicado. Abdel Fatah al-Sissi, presidente do Egito, comemorou o resultado das operações em sua rede social. "Hoje, os egípcios conseguiram pôr fim à crise do navio encalhado no Canal de Suez, apesar da grande complexidade técnica do processo". 

Apesar dos avanços no desencalhe, uma nova operação deverá ser retomada no dia de hoje, 29. Entretanto, ainda não foi informado quando a hidrovia estará liberada para o tráfego, o que permitirá que mais de 450 navio presos, ou a caminho de Suez, possam seguir com sua rota.  

Relembre o acidente! 

Na última terça-feira, 23, um navio com cerca de 220 mil toneladas e 400 metros encalhou no meio do Canal de Suez, conforme informou equipe do site do Aventuras na História. Dessa forma, maior do que a Torre Eiffel, o barco passou a interromper o fluxo da principal rota de comércio entre a Ásia e a Europa. 

Desde então, diversas equipes tentaram desencalhar o navio do canal, segundo o G1. Inicialmente, a Autoridade do Canal de Suez (SCA) optou por escavar o solo do canal a fim de liberar a proa da embarcação. Tendo o porto de Roterdã, na Holanda, como destino, contudo, o enorme navio sequer se moveu desde o início da operação. 

“É como uma enorme baleia encalhada. É um peso enorme na areia”, explicou Peter Berdowski, CEO da empresa especializada em dragagem Boskalis, que mandou uma de suas equipes ao canal, para ajudar a liberar o caminho.