Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Jair Bolsonaro

Após renúncia de Boris Johnson, Bolsonaro dispara: 'E como é que está o Brasil?'

Segundo o presidente Jair Bolsonaro, a situação brasileira em relação ao Reino Unido é bem melhor

Redação Publicado em 07/07/2022, às 16h04

Jair Bolsonaro comenta saída de Boris Johnson - Divulgação / Youtube / Uol
Jair Bolsonaro comenta saída de Boris Johnson - Divulgação / Youtube / Uol

A renúncia de Boris Johnson como primeiro-ministro do Reino Unido nesta quinta-feira, 7, repercutiu em todo o mundo e o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (PL), não podia deixar de se pronunciar sobre o ocorrido. Para ele, a situação mostra que o país, comparado a outros, está “bem”.

Durante uma conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada, Bolsonarodisse: "Estão vendo como está o mundo? E como é que está o Brasil? A gente está bem”. Logo depois disso ele comentou que a projeção do Produto Interno Bruto (PIB) foi elevada, mas afirmando que a previsão não foi feita pelo governo: "Não por nós, né?”.

O Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) revisou, no dia 30 de junho, a estimativa para o desemprenho da economia no Brasil, que eleva o crescimento deste ano, mas reduz o de 2023. O Brasil deve crescer 1,8% em 2022 e 1,3% em 2023. Em março, as estimativas eram de aumento de 1,1% em 2022 e de 1,7% em 2023, de acordo com a entidade.

Divergências e afinidades

Além disso, o presidente também disse que "lá fora eles sofrem com inflação altíssima” e que no Brasil "nós não temos esses problemas”, o que está equivocado. Segundo o Uol, A inflação em maio no Brasil atingiu 11,73%, já no Reino Unido, foi de 9,1%.

Bolsonaro ainda mencionou as sanções que países europeus adotaram, como o Reino Unido e também pelos Estados Unidos contra a Rússia, por conta da guerra com a Ucrânia.

"As barreiras econômicas dos Estados Unidos e Europa contra a Rússia não deram certo. A minha linha foi do equilíbrio", disse. A relação de Bolsonaro com o governo russo é mais amigável nesse quesito.