Notícias » Brasil

Após ser deserdado, filho de Joseph Safra pretende contestar o testamento do pai

Para Alberto Safra, o banqueiro, então dono de R$ 119 bilhões, foi influenciado a alterar o documento antes de morrer, em 2019

Pamela Malva Publicado em 07/08/2021, às 09h00 - Atualizado em 09/08/2021, às 17h43

Imagem meramente ilustrativa de edifício do branco Safra
Imagem meramente ilustrativa de edifício do branco Safra - Mike Peel/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

Em dezembro de 2020, o banqueiro Joseph Safra, então homem mais rico do Brasil, morreu aos 82 anos. Agora, após ser deserdado, um de seus quatro filhos, Alberto Safra, 41, pretende contestar o testamento do pai na Justiça da Suíça, segundo a Folha.

Durante sua vida, Joseph, que nasceu no Líbano, dividiu as fortunas e responsabilidades do Banco Safra entre seus herdeiros. Dono de uma propriedade avaliada em R$ 119 bilhões, o banqueiro concretizou suas escolhas ao compor um testamento.

Acontece que uma petição apresentada por Alberto na Justiça de Nova York afirma que diversos termos do documento final de Joseph foram alterados quando o banqueiro já estava física e neurologicamente debilitado. Nesse sentido, o filho de 41 anos afirma que seu pai teria sido influenciado a modificar algumas partes do testamento.

A fim de comprovar essa teoria, então, a petição de Alberto, a qual a Folha teve acesso, busca reunir os prontuários médicos de hospitais e profissionais que acompanharam o tratamento de Joseph nos Estados Unidos. Dessa forma, tais documentos devem constituir as provas necessárias para abrir um processo judicial na Suíça.

Tendo deixado o conselho de administração do Banco Safra em meados de 2019, Alberto foi retirado das participações de diversos bens da família previstos no testamento do pai. O problema é que o então herdeiro só soube disso após a morte de Joseph.

Na época em que saiu da empresa da família, Alberto criou seu próprio negócio, a Asa Investments. Para especialistas no setor, contudo, a separação criou desavenças entre o empresário e a família — o que teria culminado na mudança do testamento.

Documentos encaminhados ao tribunal, todavia, pontuaram que Joseph “mudou apressadamente seus testamentos a fim de isolar o peticionário [Alberto] de sua herança legítima e, correspondentemente, aumentar a parte dos irmãos do peticionário”.

A família Safra, por sua vez, emitiu uma nota sobre a polêmica, afirmando que não tem conhecimento de qualquer ação judicial aberta nos Estados Unidos. “Sobre o testamento de 2019, o Sr. Joseph Safra tomou todas as precauções necessárias para que seus atos de última vontade fossem devidamente respeitados”, pontuou a nota.

Afirmando que não vê necessidade de uma contestação, a família finalizou seu pronunciamento dizendo que o movimento de Alberto é “a posição isolada de apenas um dos filhos que não condiz com a verdade do fatos".