Notícias » Inglaterra

Após ser mordida por cachorro, britânica morre e causa só é revelada quase um ano mais tarde

Stacey Alexander-Harriss foi atacada por um cão e veio a óbito três dias depois; a autópsia oficial feita depois da morte revelou uma infecção rara

Redação Publicado em 24/05/2021, às 11h40

Imagem de Stacey Alexander-Harriss, morta após ser mordida por um cão
Imagem de Stacey Alexander-Harriss, morta após ser mordida por um cão - Divulgação//Instagram/@essexwitch

Quase um ano após sua morte, a autópsia oficial revelou a causa da morte da autora infantil Stacey Alexander-Harriss, de 42 anos. De acordo com o Daily Star, a escritora inglesa foi acometida por uma infecção rara depois de ser mordida por um cachorro.

Em junho de 2020, Harriss estava caminhando com seus dois cães de estimação quando foi surpreendida com um ataque canino. Ela apenas fez um curativo no machucado e não procurou a emergência.

Dois dias mais tarde, a britânica passou mal e foi levada às pressas para o Hospital King George em Ilford, na Inglaterra. Já em estado grave, Harriss passou por exames e tomou medicamentos, mas nada parecia apontar a verdadeira causa de seu estado.

Na madrugada do dia 18 de junho após ser encaminhada para a UTI, ela veio a óbito. A equipe medica sugeriu que a causa era sepse neutropênica, condição que facilita uma pessoa a pegar infecções graves por conta da baixa quantidade de neutrófilos (tipo de glóbulo branco).

Entretanto, em abril de 2021, a legista Nadia Persaud revelou no Tribunal de Justiça de Walthamstow, o verdadeiro motivo para a morte da autora: “uma infecção bacteriana avassaladora causada por uma mordida de cachorro”.

Foi descoberto, depois do falecimento, que Harriss estava contaminada pela bactéria Capncytophagia canimorsus, comum na boca de cachorros. Concluindo, assim, o caso turbulento, que também serviu para alertar pessoas sobre a necessidade de procurar ajuda médica ao sofrer uma mordida de animal.