Notícias » Coreia do Norte

Após um ano em silêncio, Coreias do Sul e do Norte retomam relações

A comunicação entre os países teria sido recuperada em abril, quando Kim Jong-un e Moon Jae-in passaram a trocar cartas

Pamela Malva Publicado em 27/07/2021, às 14h00

Fotografia dos líderes Kim Jong-un e Moon Jae-in, respectivamente
Fotografia dos líderes Kim Jong-un e Moon Jae-in, respectivamente - Getty Images

Há pouco mais de um ano, Kim Jong-un cortou toda comunicação entre as Coreias do Norte e do Sul. Nesta terça-feira, 27, segundo O Globo, as duas nações retomaram suas relações, o que pode reacender as negociações do programa nuclear coreano.

Em notas oficiais publicadas por Pyongyang e Seul, ambas as nações afirmaram que a nova linha de comunicação é uma forma de reconstruir a confiança entre os países, bem como melhorar o laço entre seus líderes, facilitando a diplomacia intercoreana.

A decisão de retomar relações entre os dois países surgiu de uma troca de cartas entre Kim Jong-un e o presidente sul-coreano Moon Jae-in. Nesse sentido, ainda de acordo com as notas oficiais, ambos os líderes trocavam correspondências desde abril deste ano.

Os diálogos começaram pouco mais de um ano depois que o líder norte-coreano cortou a comunicação entre as Coreias, em junho de 2020, acusando Seul por supostamente não reprimir ativistas que panfletavam em seu território. Na época, até mesmo o escritório de diálogo intercoreano, que ficava na cidade de Kaesong, foi demolido.

Em setembro, depois que um funcionário do governo sul-coreano foi morto por militares norte-coreanos, contudo, Kim Jong-un resolveu enviar uma carta a Moon Jae-in, pedindo desculpas pelo ocorrido. Em abril, então, os líderes coreanos retomaram o contato.

No total, as duas Coreias contam com 48 linhas exclusivas de comunicação para conversarem entre si — infraestrutura que permaneceu intacta, apesar do corte. Considerando que nove delas são para uso militar, o site NK News afirmou que tais canais foram os primeiros retomados pelas nações.