Notícias » Arqueologia

Arqueóloga sugere outras nacionalidades para os vikings

Conhecidos como exploradores nórdicos, normalmente provenientes da noruega, os conquistadores podem ter vindo de diferentes países litorâneos do norte da Europa

Pamela Malva Publicado em 12/07/2020, às 10h00

Pintura de barcos vikings
Pintura de barcos vikings - Wikimedia Commons

Por muito tempo imaginou-se que os vikings, os grandes exploradores nórdicos, provinham majoritariamente da Noruega. Para Marika Mägi, uma arqueóloga estoniana, no entanto, o grupo conquistador é muito mais plural do que imaginávamos.

Após décadas de pesquisas, a cientista afirma que os homens do Báltico, mais especificamente das atuais Finlândia e Estônia, também eram vikings. Nesse sentido, foram eles quem facilitaram a expansão do grupo para a Rússia, por exemplo.

Segundo a arqueóloga da Universidade de Tallinn, o território russo não apresentava nenhum litoral durante a Era de ouro dos vikings. Assim, os conquistadores tiveram de passar pela região finlandesa do Báltico quando decidiram conquistar a Rússia.

Marika Mägi em uma de suas primeiras escavações / Crédito: Arquivo Pessoal

 

A especialista frisa ainda que o grupo de exploradores poderia ser composto por pessoas de diversas etnias. Ela acredita que a atividade viking era apenas mais um trabalho, um cargo desempenhado por conquistadores, como os postos de soldados e cavaleiros.

Marika também explica que os vikings estonianos e finlandeses nunca foram reconhecidos por culpa do seu mal posicionamento histórico. Enquanto os noruegueses tornaram-se populares no final do século 19, os bálticos só começaram a falar sobre suas descobertas e conquistas após a libertação da União Soviética.