Arqueólogo indiano batiza vaso neolítico de 'Kim Kardashian'

...e agora estão falando em torná-la embaixadora do turismo da Cachemira

Thiago Lincolins Publicado em 18/09/2017, às 11h47 - Atualizado em 23/10/2017, às 16h35

A musa e o achado
A musa e o achado - Mumtaz Itoo

O pote foi encontrado totalmente intacto durante escavações em um antigo pomar na cidade de Sopore, Caxemira. Com 4,800 anos, é o primeiro que pertenceu ao período Neolítico da região descoberto em boas condições.

O pote encontrado / Reprodução Mumtaz Itoo

Como você batizaria um achado assim? Mumtaz Itoo, arqueólogo que chefiou a escavação, não teve dúvidas: "Como o pote é muito bonito e voluptuoso em forma, todos nós o chamamos Kim Kardashian", disse Itoo em entrevista ao jornal indiano Sunday Guardian.

Funcionários do governo no Departamento de Cultura e Turismo negaram conhecimento do pote ser  homenageado com o nome da personalidade da TV americana. "Não estou ciente desta descoberta e do nome. Parece bom usarmos o nome para promover o turismo de Jammu e Caxemira, convidando os turistas a explorar os antigos locais relacionados ao período pré-histórico”, afirmou um oficial sênior de turismo, também ao Sunday Guardian.

A americana Kim Kardashian / Reprodução Youtube

A descoberta causou barulho após Alison Betts, arqueólogo do corpo docente adjunto da Universidade de Caxemira no Departamento de Estudos da Ásia Central, escrever um artigo mostrando mencionando o "Pote Kim", conforme o colega tinha batizado. 

De acordo com um funcionário do Departamento de Cultura da Caxemira, Kim Kardashian vai ser recomendada ao governo para ser nomeada embaixadora de turismo da região.