Notícias » América

Arqueólogos abrem bizarra múmia inca embrulhada em tecidos. Confira imagens!

Esse indivíduo da elite andina regional surpreendeu os especialistas, que desembrulharam a múmia para descobrirem mais sobre essa fascinante civilização

André Nogueira Publicado em 26/12/2019, às 09h00 - Atualizado às 09h32

Invólucro da múmia inca
Invólucro da múmia inca - Divulgação/Proyecto Especial Naylamp-Lambayeque

Um múmia da nobreza inca do século 14 foi aberta para investigação de especialistas de Tucume, no Peru. Encontrada em Huaca Las Abejas, essa estranha múmia não seguia padrões clássicos da sociedade andina, mas estava dentro de um invólucro fúnebre pouco esperado.

Segundo a porta-voz do Museu de Tucume, Bernarda Delgado Elias, em um vídeo divulgado pelo Ministério da Cultura, “a área do crânio é protegida por roupas adicionais. Além disso, havia algodão colocado entre o crânio e as roupas. ”

Crédito: Divulgação/Proyecto Especial Naylamp-Lambayeque

 

Crédito: Divulgação/Proyecto Especial Naylamp-Lambayeque

 

"O processo de embalsamamento, roupas e ofertas nos fazem acreditar que ele era um membro da elite inca em Tucume", acrescentou Manuel Escudero Villalta, arqueólogo da instituição. 

Crédito: Divulgação/Proyecto Especial Naylamp-Lambayeque

 

Crédito: Divulgação/Proyecto Especial Naylamp-Lambayeque

 

Para os pesquisadores, essa é uma oportunidade de realizar mais testes e compreender com mais precisão quem era esse indivíduo. As primeiras baterias ocorrerão até o fim de dezembro, envolvendo todos os objetos encontrados no corpo.