Notícias » Arqueologia

Arqueólogos acreditam ter encontrado antigo recipiente de vodka de czar russo

O artefato feito de prata, conhecido como kovshs, pode ter pertencido a Alexandre III

Isabela Barreiros Publicado em 10/06/2020, às 09h00

O artefato encontrado na Polônia
O artefato encontrado na Polônia - Aleksander Ostasz

Pesquisadores poloneses estavam procurando por vestígios de um avião da Segunda Guerra Mundial quando, acidentalmente, encontraram um artefato raro que possui valor inestimável. Eles estavam escavando o leito seco de um rio próximo à cidade de Estetino, no noroeste da Polônia. O local é conhecido por ter sido onde tropas do Exército Alemão e Vermelho se encontraram em 1945.

Os arqueólogos se depararam com um recipiente feito de prata, que se parece muito com um barco. Conhecido como kovsh, o artefato era utilizado por russos com o intuito de beber hidromel ou vodka. Mas mais que isso, uma inscrição que revela a possível origem do objeto intrigou os especialistas.

Crédito: Aleksander Ostasz

 

“Segundo todas as indicações, o objeto foi produzido na fábrica dos irmãos Grachev em São Petersburgo, fornecendo produtos para o tribunal czarista. Talvez pertencia ao czar Alexandre III. Se isso for verdade, a descoberta não tem preço”, explicou Aleksander Ostasz, diretor do Museu Polonês de Armas.

A fábrica foi responsável por produzir produtos de prata para a realeza desde 1866, até mesmo à família real britânica, por exemplo. Os kovshs poderiam ser também presentes dados pelos czares, além de possíveis recompensas a serviços prestados.

Agora, os pesquisadores querem saber exatamente como o artefato foi parar no rio seco na Polônia. "Queremos saber como a embarcação chegou na trincheira e quem a perdeu lá", disse Ostasz.