Notícias » Arqueologia

Arqueólogos acreditam ter encontrado cemitério viking de 1.500 anos

Revelado após fortes tempestades na Escócia, os pesquisadores ainda estão em dúvida sobre a origem do local

Daniela Bazi Publicado em 12/03/2020, às 15h48

Cemitério encontrado na Escócia
Cemitério encontrado na Escócia - Divulgação/ORCA Archaeology

Um cemitério de meados do século 6, com aproximadamente 1.500 anos, foi revelado depois de fortes tempestades nas Ilhas Órcades, localizada no extremo norte da Escócia. Acredita-se que os restos mortais sejam de povos vikings ou pictos, que habitavam as regiões próximas.

De acordo com Peter Higgins, do Centro de Pesquisa de Arqueologia Orkney (ORCA), que faz parte do Instituto de Arqueologia da Universidade das Terras Altas e Ilhas, o cemitério foi utilizado até o século 15, e as ondas provocadas pelos temporais estariam corroendo o penhasco que abriga o local de descanso de inúmeras pessoas.

Ainda não se sabe a verdadeira extensão do lugar, e os arqueólogos acreditam que ainda podem existem mais corpos enterrados pelas proximidades. Há 50 anos, aproximadamente 250 esqueletos chegaram a ser retirados. Todavia, ainda não foi descoberto se os novos ossos encontrados são de origem viking ou picta, já que não foram encontrados vestígios ou roupas funerárias.

Arqueólogos no cemitério encontrado / Crédito: Divulgação/ORCA Archaeology

 

Representantes do Instituto de Arqueologia revelaram em um comunicado que maior preocupação no momento é sobre a vulnerabilidade das covas que ainda restaram, devido às inundações e danos que possam ser causados com próximas tempestades.

"Os moradores locais e o proprietário da terra têm se preocupado bastante com o que resta do cemitério sendo corroído pelo mar", revelou Higgins. Voluntários que moram na região estão tentando proteger o local utilizando sacos de areia e argila.