Notícias » Arqueologia

Arqueólogos descobrem mosteiro budista do século 11 em topo de colina na Índia

O grande número de pulseiras de metal indica que o local talvez possa ter sido exclusivamente destinado a mulheres

Isabela Barreiros Publicado em 07/01/2021, às 13h52

O mosteiro desenterrado na Índia
O mosteiro desenterrado na Índia - Divulgação

Escavações realizadas no topo de uma colina do Vale Gangético, em Lal Pahari, na Índia, revelaram uma descoberta impressionante. Pesquisadores identificaram o primeiro templo budista já encontrado na região, transformando-se em um achado ainda mais importante para os envolvidos.

Os arqueólogos dataram o templo como pertencente ao período entre os séculos 11 e 12. O mais interessante do local, porém, é que ele é diferente da maioria dos outros de mesmo tipo já escavados no país no geral. Segundo os especialistas responsáveis pela descoberta, ela possui “características únicas”.

Durante o trabalho arqueológico, foram encontradas tábuas de madeira que possuem representações de uma pessoa, provavelmente Buda. Cada uma delas mede 5,3 x 2,3 cm. Os pesquisadores descobriram também que o mosteiro recebia doações frequentes da rainha Pala Mallika Devi

A partir dos itens, foi possível afirmar ainda que o local tinha uma monge mulher como chefe, tendo o nome Vijayashree Bhadra inscrito. A descoberta de um grande número de pulseiras feitas de metal fez com que os especialistas se questionassem se o local abrigava apenas mulheres ou se era misto.

“Documentamos 500 esculturas espalhadas por todo o local e trouxemos 200 delas para Lakhisarai. O governo estadual deve preservar essas esculturas com urgência, pois Lal Pahari é um dos cinco monumentos protegidos pelo governo de Bihar em Lakhisarai. Os outros quatro são Satsanda, Bichhwe, Ghosi Kundi e Lai. O 6º local em Nongarh também está sendo considerado para inclusão na lista”, explicou o diretor da equipe de escavação Anil Kumar.