Notícias » Arqueologia

Arqueólogos descobrem palácio raro em local destruído pelo Estado Islâmico no Iraque

O palácio subterrâneo tem 55 metros de comprimento e foi localizado no subterrâneo de uma mesquita no local bombardeado na guerra

Wallacy Ferrari Publicado em 16/04/2020, às 07h58

Escrituras na parede do palácio junto com estruturas do ambiente
Escrituras na parede do palácio junto com estruturas do ambiente - Universidade de Heidelberg

Arqueólogos alemães descobriram um antigo palácio militar no Iraque após a abertura de escombros de uma área explodida pela organização terrorista Estado Islâmico, em 2014. Na ocasião, os seguidores da organização invadiram a cidade de Mosul e explodiram uma mesquita, que foi construída em cima da estrutura do Império Assírio.

Com a estabilização das forças de segurança iraquianas, em 2017, os pesquisadores da Universidade de Heidelberg foram convidados pelas autoridades de antiguidades do governo do país para explorar o local, que tinha um sistema de túneis de cerca de 55 metros de comprimento.

O palácio tem aproximadamente 3 mil anos e diversas características de uma residência de primeira classe, como escadas para uma sala dedicada ao trono e um painel de parede com escrituras relacionadas ao rei Asarhaddon, que governou entre 680 a 669 a.C. Grande parte da estrutura original, no entanto, foi destruído pelos ataques.

O professor de arqueologia da Universidade de Heidelberg e condutor da análise arqueológica do palácio, Peter Miglus, afirmou à DPA International que ainda é possível identificar que se trata de um palácio pela disposição dos ambientes e pela forma que foi levantado: “Os extremistas causaram muita destruição, mas fomos capazes de obter informações por causa disso”