Notícias » Arqueologia

Arqueólogos desenterram primeira fábrica de vinho dos fenícios já encontrada

No Líbano, pesquisadores descobriram um equipamento utilizado para produzir a bebida, que possui pelo menos 2.600 anos

Isabela Barreiros Publicado em 15/09/2020, às 14h02

Local da antiga fábrica de vinho em Tell el-Burak, Líbano
Local da antiga fábrica de vinho em Tell el-Burak, Líbano - Divulgação/Antiquity

Escavações realizadas no sítio arqueológico de Tell el-Burak, próximo da cidade de Sídon, no Líbano, revelaram a primeira prensa de vinho usada pelo povo fenício já encontrada por pesquisadores. Foi a primeira vez que arqueólogos descobriram evidências da produção da bebida na região que hoje é o Líbano moderno.

Acredita-se que o local tenha sido uma possível fábrica de vinho, utilizada desde o século 7 a.C, dando a idade de mais ou menos 2.600 anos para a instalação. Publicado na revista científica Antiquity, o estudo realizado explica a influência da produção fenícia da bebida, que passou a ser mercantilizada em todo antigo Mediterrâneo.

Segundo a arqueóloga da Universidade Americana de Beirute (AUB) e codiretora do Projeto Arqueológico Tell el-Burak, Hélène Sader, “o vinho era um importante item de comércio fenício”. No entanto, isso é apenas o começo da pesquisa: “A costa do Líbano nunca foi exaustivamente pesquisada, e muito poucos locais com vestígios da Idade do Ferro [fenícios] foram devidamente escavados”.

Os pesquisadores envolvidos descobriram inúmeras sementes de uva no local, que acreditam-se terem sido trazidas de vinhedos próximos dali. As uvas eram pisadas em uma bacia de gesso que poderia produzir pelo menos 1.200 galões de suco natural. Assim, o mosto era armazenado em potes de cerâmica.