Notícias » Pré-História

Arqueólogos encontram rara evidência de tecido neolítico, na Escócia

Com a ajuda de novas tecnologias, foi revelada a impressão de um cordão têxtil no interior de uma panela de cerâmica. Confira!

André Nogueira Publicado em 03/06/2020, às 10h15

Marcação do tecido
Marcação do tecido - UHI Archaeology Institute

Escavações nas Terras Altas da Escócia revelaram evidências de tecido do neolítico, algo extremamente raro no país. Apesar de não ter sido encontrado o fragmento em sí, que se deteriora rapidamente, foram descobertas marcas de 5.000 anos deixadas por pressão na superfície de uma panela de argila.

O projeto prospectivo de Jan Blatchford e Roy Towers parte de uma análise de superfície da cerâmica com técnicas de reconhecimento fotográfico, com ângulos diversos de iluminação, revelando frestas minúsculas nas texturas. Isso permite a visão de marcas invisíveis a olho nu. As evidências do tecido apareceram no interior do vaso, indicando que têm origem nas roupas do oleiro.

Crédito: UHI Archaeology Institute

 

Com o uso da tecnologia, fica bem clara a marcação de um cordão impresso na superfície, medindo 4 centímetros, com espessura de 3 mm. As características da textura permitam afirmar que a corda foi finamente trançada com cuidado, em um trabalho artesanal de boa qualidade. Ainda assim, é difícil afirmar concretamente o método usado na fabricação. A fibra utilizada era de origem vegetal, possivelmente linho.

“Não há evidências de ferramentas têxteis disponíveis no Neolithic Orkney, sugerindo que os tecidos foram feitos à mão ou usando ferramentas feitas com materiais orgânicos que não sobreviveram no registro arqueológico. Essa falta de cultura material em torno da produção têxtil pode nos ajudar a inferir quais técnicas eles podem estar usando”, afirmou Nick Card, diretor geral de sítios em Oakley, ao Heritage Daily.