Notícias » Arqueologia

Arqueólogos fazem rica descoberta em Pequim, na China

O sítio arqueológico revelou diversos artefatos em meio a ruínas da dinastia Zhou Ocidental

Wallacy Ferrari, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 14/12/2021, às 14h16

Fotografia do Templo do Céu, cartão postal de Pequim
Fotografia do Templo do Céu, cartão postal de Pequim - Foto de wreindl no Pixabay

Um grupo de pesquisadores chineses localizou uma série de artefatos históricos relacionados à dinastia Zhou Ocidental (1046-771 a.C.) num sítio arqueológico em Pequim, na China, chamando atenção pela relação com o início da cidade, principalmente pelos vestígios e edifícios encontrados no local.

No sítio arqueológico localizado ao sudoeste da capital, em Liulihe, os arqueólogos encontraram cinco túmulos antigos, três ruínas de habitações, uma suposta trincheira e outras dezenas de objetos com referências culturais da época, confeccionadas com cobre, laca, cerâmica e seda.

O trabalho de escavação foi realizado através da união de especialistas de oito instituições especializadas, entre elas a Universidade de Pequim e Academia Chinesa de Ciências Sociais (CASS), que já ocupava o local para pesquisas desde 2019, orientando os outros pesquisadores para as novas descobertas, como noticiou o portal Sputnik.

 Devido à riqueza de materiais na descoberta, os pesquisadores apelidaram o local como “origem de Pequim”, sendo a mais antiga fonte de civilização na metrópole.

Wang Jing é o chefe das escavações e explicou para a imprensa local o valor da descoberta: "Algumas das relíquias fornecem materiais valiosos para o estudo do sistema funerário da dinastia", relatou.